quinta-feira, 22 de dezembro de 2011

potentia est in animum




Fala-se do poder das palavras ou de tudo que é desnecessário para o desenvolvimento dos seres , para a plenitude de viver dos mesmos , a questão é muito simples , todo conceito é mero instrumento do pensar para propiciar uma evolução verdadeira e toda palavra é mera arrogância de algumas pessoas que pretendem introduzir no cosmos uma responsividade a uma prepotência antropomórfica ; o universo somente irá responder , não pelo conceito e sim pela entronização do estado perceptivo de ser verdadeiramente , sem circunstâncias que qualifiquem ou palavras ou conceitos que expressem meramente a mentira , o verdadeiro estado tem a placidez da atitude centrada e não a insuficiência da retórica...






Luiz Grimaldi






myfreecopyright.com registered & protected


Alude-se aqui , não a restrição da palavra em orações evasivas mas o poder atuante da palavra na criação de nexos diretos para a atitude , algo que atualmente é visto como mistificação - as antigas fórmulas mágicas - em verdade não são mistificações , mas eram elementos para transposição de determinados níveis mentais ,  para outros níveis mentais utilizando-se da vitalidade - que é a união de diversos centros , existentes no ser humano , assim como no cosmos - ;  o meio e consequentemente o instrumento da atitude direcionada é o redirecionamento da vitalidade na obtenção de resultados verdadeiros , de outra forma é apenas o desenvolvimento dos vícios da personalidade , portanto de nada adianta a fé retórica , a fé conceito , ou o deus limitado de certas religiões - que apenas apagam a espiritualidade e todo o potencial da mesma - , a fé deve ser viva , atuante e sem elementos doutrinários ou fórmulas dominadoras...



Luiz Grimaldi

Nenhum comentário:

Postar um comentário