segunda-feira, 14 de maio de 2012

vivifica I.N.R.I




Photobucket
        A importância em sentir , está no fato que só o sentir transforma , pouco adianta colocar-se como insensível , ou guardar rancores , ou quem sabe evocar a lógica e desconstituir-se de sua natureza essencial , a polaridade do sentir é agressiva e antes oculta , é simples :É agressiva , quando não sentimos o que devemos sentir , somos arremessados para situações contrárias as nossas próprias motivações vitais , por exemplo : Sentir raiva , ódio e em alguns casos , sentir pena até aonde não cabe sentir e demais contra sentimentos , é oculta , pelo próprio meio em que vivemos , a sociedade torna fraco quem sente , torna patético - quem é bom ou quer fazer o bem - torna inútil o ser sensível que é preterido por um jogador de interesses ou um buscador por prazeres efêmeros... 
       Sentir é portanto a primeira fórmula , em uma palavra marginalizada , a magia , quando esta palavra é citada seu significado perde-se na ignorância interpretativa ou na superstição de tolos , mas a fórmula é uma magia , uma magia do sentir... 
      Parece que é o jogador por prazeres , o grande vencedor no páreo da vida , páreo aonde somente a competição parece existir e os critérios para escolher os vitoriosos são absolutamente ridículos , mas não é o jogador que é o vencedor , é o ser integral , o ser que uniu todas as suas partes na condução equânime de sua vida... 
 Alguns buscam a arte na árvore da vida , mas a maior parte fica invocando anjos e arcanjos em meros conceitos do que deveria ser a evocação de suas sensações primordiais e posteriormente de seus sentimentos , contudo , estes estão no alto da pirâmide , os demais descem mais baixo ainda , até chegar , derradeiramente as fórmulas de botequim , superstições , mandingas , etc...
     A magia , não deve ser evocada para modificar fato em curso , mas deve ser treino constante , para que não haja - ou se houver - detenha , ou reduza , fato em curso , a anterioridade é a superioridade... 
     Magia existe e não é superstição , é a vitalidade do ser além da limitada linearidade do tempo , que no transcorrer das eras dividiu-se em muitas disciplinas , observe a hipnose e o poder que a hipnose e a auto-hipnose tem sobre a consciência e a sub consciência , os exemplos das disciplinas , são diversos , mas pouco convergentes... 
     Vamos evocar a lógica , aonde cabe evocar a lógica , imagine um ser que sente , um adulto sem traumas , um ser que se ama , é fato que direcionará a sua vida dentro de um juízo equilibrado e é contundente que haverá mais transformação na vida desse ser que na vida de um ser complexo , transformação no sentido de evolução , enquanto o ser complexo , detêm-se em infindáveis processos cíclicos , ou seja : Enquanto o ser complexo luta contra ele mesmo ou contra algo dentro dele mesmo que ele não sabe bem o que é , o ser na normalidade ou mais próximo da normalidade encontra fluxo em tudo o que faz...
    Você já reparou que aqui está o arcano do destino em sua única fórmula , que é o destinar-se ?                     É óbvio que a incerteza e a aleatoriedade estão presentes , mas muito mais óbvio é que construímos o nosso próprio destino , muito mais certo , você está na luta por algo , mas parece que sua vida dá voltas e mais voltas e de todas as voltas volta ao mesmo lugar e muitas vezes nem de algo você está na luta , mas por algo que pensa querer ou por algo muito difícil de alcançar...
     Pelo exposto acima , observa-se o único céu e inferno , anjos e demônios e pecados , estão dentro das criações do ser , pecados - em alta acepção da palavra , pecado é desvio - desvio do nosso potencial , do nosso próprio caminho , desvio da nossa potencial realidade , sim observa-se por que o destinar-se não pode ser tão fútil , quanto incompreendido , quanto atribuir-lhe a vontade de deus , penso que a vontade de deus está muito acima da pequenez humana e seu equivocado senso , acredita-se em um deus , mas não em um deus de nossos próprios equívocos...
      É assustador o que acontece com a neuro trama dos nossos próprios neurônios , como uma mágica , inserimos o drama de nossos próprios processos , imprimimos no mundo o nosso processo , assim , tenha certeza que a sua vida passa ao teu lado , mas se estiver dentro do seu processo não vê-la , não senti-la , a vida sairá do seu alcance , deixa somente a repetição , repetição que como vício , alimenta todo nosso inferno...
    Não adianta fugir , não adianta atribuir a responsabilidade a seres superiores , é fato que a única saída seria conscientizar-se , mas não posso crer que a mera conscientização , removerá os caminhos neurológicos constituídos , acredito que a remoção somente ocorrerá se as chaves abrirem as portas dos mesmos , ou posso colocar como gatilhos , que dispararam o evento comportamental , refiro-me a sensação inequívoca , primordial , o foco e não a sua imagem somente e este foco , esta sensação primordial , deverá ser queimada no altar do sacrifício , por atitudes contrárias as usuais , até que novas conexões formem-se...
    Existem diversos métodos , mas pouco eficazes , o melhor método é uma auto crítica constante , uma busca e uma vontade em mudar , uma vontade soberana em viver a sua própria vida em toda intensidade possível. 
   Constatou-se que pelo ato contrário a determinados gatilhos , modificou-se o destino , pergunta-se , qual a diferença disto e da psicologia ou da psicoterapia , a questão é descortinar os símbolos formadores , os símbolos disparadores e inverter-lhes a polaridade , utilizando-se dos métodos da teurgia ou da alta magia , inverter a polaridade da maneira como vemos e interpretamos o mundo e desta forma como sentimos e nossas atitudes em decorrência destes. Photobucket




sexta-feira, 11 de maio de 2012

Primum vivere, deinde philosophari


        Os valores são construídos em uma sociedade que ao inverter o valor de tudo , constroem independentes de nossas essências , desvios , desvios do dom de sentir , desvios das primazias que compõe tudo aquilo que somos , desta forma , esmorece a vitalidade quando até o amor , não tem a plenitude que deveria ter , aonde as conveniências imperam e o sentir retrocede , morre o ser , mesmo que aparentemente vivo , de nada adianta ter se nem ao menos somos e pouco vale equilibrar o sentir , nas conveniências das relações , parece que o ser , perde a esperança nele e em todos os semelhantes...



Luiz Grimaldi