quinta-feira, 6 de outubro de 2011

nosce te ipsum

      




Esmorece a seiva , retorcida e ressequida a árvore da humanidade , deita as últimas saudades do seu apogeu e quanto ao sol , tórrido , mas antes doador de vida , calor insuportável , mas antes luz e esperança , este sol que abrasa ; árvore que na esperança , verdejou nas lutas e em todas as conquistas , sempre no resguardo do futuro , os fins que justificassem todos os meios , perdão ao instinto e a todos os egoísmos , a todas as guerras e assim procedeu , a marcha incessante de um tempo ilusório...
Insosso deserto calado de uma alma perdida , na prisão de um tempo fugaz e a vitalidade foi corroída na seca manifestação das já , não existentes sensações , não existentes sentimentos , protelar , fingir ser , caminhar , e caminhar , e caminhar sem olhar o caminho ou sem ser o caminho , o ser deixou de ter raízes de si mesmo , perdeu-se em si na maravilha mecânica em que se transformou , com poderes , muito além dos antigos deuses , cerrou os lábios ao sorrir , no amargor pleno de uma alma inóspita ...
A árvore mais parece uma pedra , mas não tão viva quanto , guarda em si contornos de vida e vem o tempo que partirá , transformará em pó ao destino de ventos incertos , de olhos sem brilho , sorrisos distantes , pensamentos confusos , que de deus , mesmo a fábula já não basta o que dizer da fé , resumida em palavras odiosas , daqueles que pregam ventos incertos , corações secos , alma pétrea , sem vida ...
Mas a árvore , creio e tão somente creio , em plena decomposição , recebeu a água do espírito , da liberdade de ser e de ser tudo que tem que ser e não será pó aonde é semente , enxutas as lágrimas , dançarão lágrimas , no êxtase do reencontro , reencontro do ser com Deus ? Plena prepotência ...
Do reencontro do ser consigo mesmo , isto e tão somente isto , é o caminho para reencontrar a Deus...



LuizGrimaldi

Nenhum comentário:

Postar um comentário